Entenda a Pesquisa

O que é a pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro?

É uma estimativa, elaborada a partir dos dados de uma amostra de editoras, da performance do setor editorial e de seus subsetores num determinado ano.

Como ela é feita?

A partir da verificação do comportamento dessa amostra, os dados do universo do setor são, a cada ano, atualizados.

Metodologia

A metodologia adotada para avaliar o Setor Editorial Brasileiro tem por base uma pesquisa de campo cujo principal instrumento é um questionário eletrônico, respondido on line, em que se solicita às empresas constantes do cadastro informações referentes a seus principais indicadores de performance.

Encerrada a etapa de campo, procede-se à tabulação dos dados dos questionários, classificando-se as empresas por subsetores de atividade (discriminação que segue os padrões internacionais de avaliação do setor) e por intervalos de faturamento, tal como se segue:


Subsetores

  • Didáticos
  • Obras Gerais
  • Religiosos
  • Científicos, Técnicos e Profissionais (CTP).

Faturamento

  • Nível A - Até R$ 1 milhão por ano.
  • Nível B - De R$ 1 milhão a R$ 10 milhões por ano.
  • Nível C - De R$ 10 milhões a R$ 50 milhões por ano.
  • Nível D - Mais de R$ 50 milhões por ano.

A classificação da editora em um determinado subsetor é feita pela própria editora, ou seja, trata-se de uma auto-classificação. A primeira pergunta do questionário versa justamente sobre qual é o subsetor onde predominantemente se dá a atividade da editora. Segundo a CERLALC (Centro Regional para o Fomento do Livro na América Latina e Caribe), a autoclassificação é a metodologia utilizada no resto do mundo

Depois de processados e totalizados, os dados assim coletados formam a base a partir da qual se realiza o processo de inferência estatística que produz as estimativas para o universo do setor. O outro elemento que sustenta o processo de inferência são as informações existentes sobre os valores relativos ao setor no ano anterior, em todas as suas clivagens (títulos editados, exemplares produzidos e exemplares vendidos, faturamento junto ao Mercado e faturamento junto ao Governo, faturamento total, títulos e exemplares vendidos por subsetor etc.).

Dadas as informações referentes ao ano anterior e os dados informados pelas empresas respondentes referentes ao ano corrente, procede-se da seguinte forma: a) estima-se inicialmente a evolução de cada variável no grupo das empresas respondentes no ano corrente; e b) aplicam- se as taxas de variação a partir daí encontradas aos dados existentes para o universo do setor no ano anterior. Não é demais lembrar que, para a elaboração das estimativas referentes à maior parte das variáveis são utilizados apenas os dados das empresas emparelhadas, ou seja, daquelas empresas que são respondentes no ano corrente e que foram também respondentes no ano anterior. O emparelhamento dos respondentes é feito variável a variável.

Em um segundo momento, são realizadas avaliações qualitativas junto a especialistas do setor, a partir das quais as estimativas iniciais são apuradas. Essas avaliações qualitativas se dão por meio de reuniões realizadas entre a equipe da FIPE e os membros da comissão de pesquisa CBL-SNEL. Além disso, é também consultado o FNDE (Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação), órgão responsável pelas compras efetuadas pelo governo federal às editoras, compras que são responsáveis por uma parcela significativa do faturamento das empresas, principalmente no subsetor de Didáticos. O FNDE fornece informações sobre os valores contratados, empenhados, liquidados e pagos por programa em cada período.